Padrão da Raça

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA
Filiada à Fédération Cynologique Internationale

Classificação F.C.I.:
Grupo 9 - Cães de Companhia
Seção 6 - Chihuahuas
Padrão FCI no 218 - 23 de junho de 2004.
País de origem: México
Nome no país de origem: Chihuahua
Utilização: Companhia

CHIHUAHUA

 

NOMENCLATURA CINÓFILA UTILIZADA NESTE PADRÃO
1 – Trufa                     13 – Perna                   25 – Braço
2 – Focinho                 14 – Jarrete                 26 – Ponta do esterno
3 – Stop                      15 – Metatarso            27 – Ponta do ombro
4 – Crânio                   16 – Patas
5 – Occipital                17 – Joelho
6 – Cernelha                18 – Linha inferior
7 – Dorso                    19 – Cotovelo                         a – profundidade do peito
8 – Lombo                   20 – Linha do solo                  b – altura do cotovelo
9 – Garupa                  21 – Metacarpo                      a + b = altura do cão       
10 – Raiz da cauda      22 – Carpo
11 – Ísquio                  23 – Antebraço                      
12 – Coxa                   24 – Nível do esterno na cernelha
 

RESUMO HISTÓRICO: o Chihuahua é considerado o menor cão de raça do mundo e seu nome vem da maior província da República Mexicana (Chihuahua). Alguns dizem que este cão viveu de forma selvagem, na época da civilização “Tolteca”, onde foi capturado e domesticado por seus habitantes. Ilustrações de um cão miniatura (toy), chamado “Techichi”, que vivia em Tula, foram usadas como decoração em suas arquiteturas. Estas pequenas estatuetas são muito similares aos Chihuahuas de hoje.

 

APARÊNCIA GERAL: tem a forma de um cão compacto. É de grande importância, o fato de seu crânio ter a forma de uma maçã e que sua cauda é moderadamente longa, muito alta, curvada ou formando um meio círculo com a ponta direcionada para a região lombar.


PROPORÇÕES IMPORTANTES: comprimento do corpo ligeiramente mais longo do que a altura na cernelha. Deseja-se, porém, um corpo quase quadrado, especialmente nos machos. Nas fêmeas, por causa da gravidez, um corpo ligeiramente mais longo é permitido.


COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: rápido, alerta, cheio de vida e muito corajoso.


CABEÇA
REGIÃO CRANIANA

Crânio: bem arredondado, forma de maçã (uma característica da raça) preferencialmente sem moleira, embora uma de pequeno tamanho seja permitida.

Stop: muito marcado, profundo e largo, já que a testa é alta em relação ao focinho.

 

REGIÃO FACIAL
Trufa: qualquer cor é permitida. Cana nasal moderadamente curta, apontando ligeiramente para cima.

Focinho: curto, quando visto de perfil; largo em sua inserção, afinando para a ponta.

Lábios: secos e aderentes.

Bochechas: moderadamente desenvolvidas, muito secas.

Maxilares / Dentes: mordedura em tesoura ou em torquês. Prognatismo superior ou inferior, assim como qualquer anomalia na posiçao maxilar ou mandibular deve ser severamente penalizada.

Olhos: grandes, de forma arredondada, muito expressivos, não proeminentes e completamente escuros. Olhos claros são permitidos, mas não desejados.

Orelhas: grandes, eretas, bastante abertas; largas na inserção, afinando gradualmente em direção às suas pontas ligeiramente arredondadas. Em repouso, inclinadas lateralmente formando um ângulo de 45º.

 

PESCOÇO: perfil superior ligeiramente arqueado.
Comprimento: médio.

Forma: mais grosso nos machos que nas fêmeas.

Pele: sem barbelas. Na variedade de pêlos longos, a presença de uma juba de pêlos longos é altamente desejada.

 

TRONCO: compacto e bem construído.
 Linha superior: plana.

Cernelha: apenas marcada.

Dorso: curto e firme.

Lombo: fortemente musculoso.

Garupa: larga e forte; quase plana ou ligeiramente inclinada.

Peito: caixa torácica larga e profunda, costelas bem arqueadas. Visto de frente, amplo, mas sem exagero. Visto de perfil, alcançando os cotovelos. Nunca em forma de barril.

Linha inferior: formado por um ventre claramente esgalgado. Ventre frouxo é permitido, mas não desejado.

 

CAUDA: inserida alta, plana em sua aparência, de tamanho moderado; larga na raiz, afinando gradualmente para a ponta. O porte da cauda é uma característica importante da raça: quando o cão está em movimento, ela é portada alta, em curva ou em semicírculo, com a ponta direcionada para o lombo, é o que dá equilíbrio ao corpo; não deve nunca ser portada entre as pernas nem encaracolada sobre o dorso. A pelagem está de acordo com a variedade e em harmonia com o corpo. Na variedade de pêlos longos, a pelagem forma uma pluma. A cauda é pendente em repouso e forma um ligeiro gancho.


MEMBROS
Anteriores: retos e de bom comprimento. Vistos de frente, formam com os cotovelos uma linha reta. Vistos de perfil, sua posição é vertical.

Ombros: secos, com poucos músculos. A angulação entre a escápula e o antebraço é proporcional.

Cotovelos: firmes e aderentes ao corpo, o que permite uma movimentação livre.

Metacarpos: ligeiramente oblíquos, fortes e flexíveis.

Posteriores: bem musculosos com ossos longos, verticais e paralelos entre si com boa angulação entre as articulações coxofemorais, de joelhos e de jarretes, em harmonia com as angulações dos anteriores.

Jarretes: curtos, com tendões de Aquiles bem desenvolvidos. Vistos por trás, são retos e verticais.

 

PATAS: muito pequenas e ovais, com dédos bem separados, mas não abertas (nem pés de lebre, nem pés de gato). Unhas especialmente bem arqueadas e moderadamente longas. Almofadas bem desenvolvidas e muito elásticas. Ergôs devem ser removidos, exceto em países onde esta prática é proibida por lei.


MOVIMENTAÇÃO: as passadas são longas, elásticas e ativas, com bom alcance e propulsão. Vistos por trás, os posteriores devem manter-se quase paralelos entre si, de maneira que as pegadas das patas posteriores estejam diretamente nas pegadas das patas anteriores. Com o aumento da velocidade, os membros tendem a convergir ao ponto do centro de gravidade (single track). A movimentação permanece livre e elástica sem esforço visível, cabeça erguida e dorso firme.


PELE: lisa e elástica sobre toda a superfície corporal.


PELAGEM
Pêlos: existem duas variedades de pêlos nesta raça:
Pêlo Liso: a pelagem é curta, bem assentada sobre todo o corpo. Se apresentar subpêlo, o pêlo é um pouco mais longo. Pêlos escassos na garganta e ventre são permitidos; ligeiramente mais longos no pescoço e na cauda, curtos na cabeça e nas orelhas. A pelagem é brilhante e sua textura é macia. Cães sem pêlos não são tolerados.

Pêlo Longo: a pelagem deve ser fina e sedosa, macia ou ligeiramente ondulada. O subpêlo não deve ser muito espesso. A pelagem é maiss longa, formando franjas nas orelhas, pescoço, parte traseira dos membros anteriores e posteriores, nas patas e na cauda. Cães com longos pêlos como o do Maltês, não são aceitos.

 

COR: todas as cores, em todos os tons e combinações são admitidos.


PESO: nesta raça, só o peso é levado em consideração, não a altura.
Peso ideal: entre 1,5 e 3 kg.
Porém, cães entre 500g e 1,5 kg são aceitos, mas exemplares acima de 3 kg devem ser desqualificados.

 

Fonte: www.cbkc.com.br